No mês de janeiro foi estabelecido e assinado pelo presidente da república o novo salário mínimo 2016 para empregadas domésticas. Empregadores domésticos que pagam salário mínimo deverão reajustar de R$788,00 para R$880,00 (aumento de 11,67%). Os salários mínimos regionais ainda não foram oficializados, mas é provável que tenham aumento na mesma proporção.Portanto fique atento para o reajuste e os reflexos que incidem em outros benefícios lendo esse artigo até o fim.Salário Mínimo 2016 para Empregadas Doméstic

Reajuste do salário mínimo nacional

O salário mínimo nacional 2016 para domésticas foi de R$788,00 para R$880,00 portanto, um aumento de 11,67%.

Salário Mínimo Regional

Os salários mínimos regionais ainda não foram definidos, contudo deverão sofrer aumento na mesma proporção.

Os seguintes estados tem salário mínimo regional :

Nesses estados o valor do salário mínimo é maior do que o valor do salário mínimo nacional.

Dessa forma, empregadores domésticos nesses estados devem pagar seus empregados usando como base o salário mínimo regional de seu estado.

O reajuste do salário mínimo  também aumenta o valor de benefícios e serviços que usam o mínimo nacional como referência.

Veja onde o reajuste reflete:

O reajuste de 11,6%, que resulta em um aumento de R$ 92 altera também outros benefícios listados a seguir.

Salário Mínimo

Valor para 2016 foi fixado em R$ 880.

Seguro-desemprego

O aumento do salário mínimo reajusta o valor do seguro-desemprego – cuja parcela mínima passa de R$ 788 para R$ 880. O benefício foi instituído em 1990 e é concedido ao trabalhador desempregado sem justa causa.

Abono salarial

O benefício equivale a um salário mínimo vigente, assim sendo, sobe de R$ 788 para R$ 880.

O abono é pago anualmente aos trabalhadores que recebem remuneração mensal de até dois salários mínimos.

Atualmente o dinheiro é pago a quem tenha exercido atividade remunerada por, no mínimo, 30 dias consecutivos ou não, no ano.

Ainda assim, regra vale para quem esteja cadastrado no PIS (empregado da iniciativa privada) ou Pasep (servidor público) por pelo menos 5 anos, e cujo empregador tenha declarado o trabalhador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do ano base.