);

Desde que a MP 936/20 entrou em vigor, muitos empregadores domésticos estão em dúvida sobre como faz para calcular a redução de salário da doméstica.

Sabemos que em meio a tantas mudanças, muitas coisas do dia a dia que eram simples, acabam se complicando. Calcular pagamento, emitir a guia DAE e gerar os recibos com salário integral era tranquilo mas, já conferiu os cálculos após redução de jornada?

Continue lendo esse artigo e veja tudo sobre como calcular a redução de salário da doméstica. Boa leitura!

calcular a redução de salário da doméstica

Medida Provisória 936/20

Dentre vários pontos da MP, um dos que mais geraram dúvidas é em relação ao percentual do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda e de quanto será o pagamento feito pelo empregador.

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda é um auxílio ao empregado e empregador, criado pelo Governo para minimizar os impactos da crise gerada pelo estado de calamidade pública instaurado.

Caso o empregador opte por redução de jornada a cima de 25%, o Governo dará um complemento salarial ao empregado, que será calculado da seguinte forma:

  • redução igual a 25% o benefício pago pelo governo será igual a 25% do seguro desemprego;
  • redução de 50%, benefício pago pelo governo igual a 50% do seguro desemprego; e
  • redução de jornada e salário igual a 70%, benefício pago pelo governo igual a 70% do seguro desemprego;

Passo a passo para calcular a redução de salário da empregada doméstica

Conforme Portaria nº 10.486:

Art. 5º O BEm terá como valor base o valor do benefício de Seguro Desemprego a que o empregado teria direito, calculado nos termos do art. 5º da lei nº 7.998/90, observando o seguinte:

I – para média de salários com valor de até R$ 1.599,61, multiplica-se a média de salários por 0,8, observado como valor mínimo o valor do salário mínimo nacional;

II – para média de salários com valor de R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29, multiplica-se a média de salários que exceder a R$ 1.599,61 por 0,5, e soma-se o resultado ao valor de R$ 1.279,69; e

III – para média de salários com valor superior a R$ 2.666,29, o valor base é de R$ 1.813,03.

  1. verifique o valor base. de acordo com as médias dos 3 últimos salários, conforme regra a cima;
  2. defina o percentual de redução da jornada de trabalho. Ex: 25, 50 ou 70;
  3. o valor pago pelo empregador refere-se ao percentual trabalhado, se a redução for de 25% da jornada, o empregador deverá pagar 75% de salário referente aos 75% da jornada que o empregado fará.

Sobre o cálculo da médias salariais, deve-se considerar mês completo de trabalho, mesmo que o trabalhador não tenha trabalhado integralmente em qualquer dos três últimos meses.

Caso por algum motivo, como auxílio doença, empregado não tenha 3 último salários, serão considerados os dois últimos, ou apenas o último para base de cálculo.

Ajuda compensatória

A ajuda compensatória é um valor que pode ser pago pelo empregador para complementar o benefício pago pelo governo, após a redução de jornada de trabalho.

Ou seja, mesmo optando por diminuir a carga horária mensal, o empregador pode pagar o salário proporcional e complementar o valor pago pelo governo com a ajuda compensatória. Sobre isso a MP diz :

I – deverá ter o valor definido no acordo individual pactuado ou em negociação coletiva;

II – terá natureza indenizatória;

III – não integrará a base de cálculo do imposto sobre a renda retido na fonte ou da declaração de ajuste anual do imposto sobre a renda da pessoa física do empregado;

IV – não integrará a base de cálculo da contribuição previdenciária e dos demais tributos incidentes sobre a folha de salários;

V – não integrará a base de cálculo do valor devido ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, instituído pela Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, e pela Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015; e

VI – poderá ser excluída do lucro líquido para fins de determinação do imposto sobre a renda da pessoa jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido das pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real.

Desta forma, no passo a passo de como calcular a redução de salário da doméstica, pode ser acrescido o valor de ajuda compensatória.

Como calcular os encargos e tributos

Relembre os valores que o empregador tem de pagar:

 EmpregadorEmpregado
Salárioacordado em carteira-
FGTS8% do salário + 3,2% depósito compulsório-
GILRAT0,8% do salário-
INSS Patronal8% do salário-
INSS Trabalhador-de 8% a 11% do salário
Transportepago a diferença de 6% do trabalhador menos o custo total6% do salário
13º salárioproporcional ao tempo trabalhado-
Fériasproporcional ao tempo trabalhado-

Esses encargos e tributos seguem no mesmo percentual, o único valor que não agregará no valor será a ajuda compensatória.

O HDL te ajuda nesse momento

Parágrafos, artigos, incisos e muitas outras coisas que vão além das questões jurídicas. Nesse momento precisamos de empatia e calma para enfrentarmos juntos todos os desafios.

Pensando nisso, todos os dias a equipe do Hora do Lar pensa em uma maneira de facilitar a sua vida. Preparamos artigos, descomplicamos medidas provisórias e temos uma equipe de suporte ao cliente pronta para tirar todas as suas dúvidas. Afinal, sabemos que cada cliente tem sua peculiaridade a ser resolvida.

Conheça hoje a nossa plataforma. Cuide da sua família e deixe o que HDL te auxilie na gestão do seu funcionário.


0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *