);

O empregador deve manter-se atento às mudanças burocráticas e legislativas na redução de jornada e salário da empregada doméstica em 2021. O acordo prevê novas possibilidades após a atualização governamental.

 

A Medida Provisória (MP) 1.045/21, publicada em abril de 2021, gera alterações importantes no que diz respeito à redução de jornada e salário da empregada doméstica. A medida prevê tanto a redução de salário e jornada da empregada doméstica quanto a suspensão temporária de contrato e tem como objetivo a garantia dos empregos formais durante o período de calamidade imposto pela pandemia.

A MP 1.045 está integrada às medidas do Novo Programa Emergencial do Emprego e Renda, instituído pelo Ministério da Economia. O programa tem como objetivo oferecer medidas trabalhistas que garantam os empregos formais durante a crise econômica.

Para esclarecer as novas imposições de redução salarial e de jornada, o Hora do Lar preparou o texto abaixo. Aqui, você encontrará todas as informações para se manter informado sobre o assunto e um passo a passo para registrar o acordo nas plataformas virtuais do governo.

Redução de Jornada e Salário da Empregada Doméstica em 2021

Entenda a redução de jornada e salário das empregadas domésticas

O isolamento social e decrescimento da economia impactaram diretamente na forma de como se trabalha e emprega. O governo, desde o início de 2020, institui Medidas Provisórias com o intuito de amenizar os efeitos da crise. Para compreender a atual situação, siga a leitura.

Como funciona a redução de salário e jornada

A possibilidade do empregador reduzir o salário de sua empregada doméstica só é possível caso seja diminuída, na mesma medida, a jornada de trabalho. Ambos devem ser reduzidos de maneira proporcional nos valores de 25%, 50% ou 75%.

Na redução, é indispensável que o valor da hora trabalhada continue o mesmo. Isto é, a empregada doméstica presta serviço com jornada de trabalho reduzida e, por isso, tem menor remuneração. Assim, é importante que seja mantida a proporcionalidade entre a diminuição de jornada e salário.

Outro ponto que merece atenção é o direito de recusa da empregada doméstica. A proposta de redução, a qual deve conter a data estabelecida como termo de encerramento do período de diminuição salarial e valores proporcionais, pode ser ponderada pela empregada por até dois dias. Depois disso, ela deve manifestar aceitação ou recusa.

Detalhes importantes sobre as novas resoluções

A burocracia pode ser um tanto complexa e, por isso, é importante atentar-se em alguns pontos fundamentais. Entender corretamente os direitos e deveres do empregador pode poupar muitas dores de cabeça.

Piso de redução

O salário resultante após a redução não deve, de maneira alguma, ser menor do que o valor de um salário mínimo – atualmente, instituído no valor de R$ 1.100,00. Apenas assim o empregador estará de acordo com o que assegura a legislação trabalhista. Isto é, há uma quantidade mínima de horas que a empregada deve cumprir.

Prazo do acordo

É fundamental compreender que a lei prevê a situação como provisória. A redução de salário e jornada das empregadas domésticas deve ser um acordo temporário, com prazo máximo de 120 dias após firmado.

Complemento do governo

Uma vez oficializado o acordo, a empregada doméstica tem acesso ao complemento governamental do valor reduzido. Por isso, é de extrema importância que o empregador cadastre a redução virtualmente. Apenas assim a empregada terá acesso ao benefício nesse momento tão difícil.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Importância de registrar virtualmente

O cadastro da redução de salário e jornada da empregada doméstica nas plataformas virtuais é de extrema importância. Apenas assim essa redução estará nos acordos da lei, e a empregada conseguirá acesso aos benefícios do plano emergencial em vigência.

Como inserir a redução de jornada e salário no Meu INSS

Para informar sobre acordo de redução de salário e jornada da sua empregada doméstica no Meu INSS, o empregador deve acessar o Portal de Serviços com seu login único e tomar os seguintes passos:

  1. entrar e logar no Meu INSS;
  2. clicar em “Benefício emergencial”;
  3. selecionar “empregador doméstico”;
  4. inserir dados do funcionário;
  5. preencher dados de suspensão ou redução;
  6. salvar alterações.

Os dados necessários para o cadastro da redução de salário e jornada da empregada doméstica são:

  • dados pessoais da empregada doméstica;
  • data de admissão;
  • tipo de acordo (redução de jornada ou suspensão de contrato);
  • data do acordo;
  • percentual de redução;
  • dias de duração da redução;
  • dados bancários da empregada doméstica;
  • valor dos três últimos salários.

Como inserir a redução de jornada e salário no eSocial

Para inserir a redução da jornada e salário da empregada doméstica no eSocial, o empregador deve acessar o site e inserir CPF, código de acesso e senha pessoal e fazer as alterações na opção do menu “Empregados”.

Após cadastrar a diminuição de jornada, é importante verificar a concessão do benefício à empregada. Assim, há garantia de que o acordo ocorrerá conforme prevê a Medida Provisória. Para isso, basta acessar a área do site do Banco do Brasil referente ao benefício emergencial e preencher dados do empregador e da empregada.

Quer receber em primeira mão todas as novidades do emprego doméstico? Então assine a newsletter Hora do Lar e leia tudo de mais importante semanalmente!

Calculadora de Salário do Emprego Doméstico
Categorias: Outros