);

É comum em viagens de família ser necessário levar a babá, uma vez que as necessidades dos membros continuam sendo as mesmas, mesmo longe de casa, inclusive das crianças.

Contudo, uma dúvida que costuma pairar entre os empregadores que não podem dispensar os serviços de seus domésticos durante uma viagem é sobre a maneira correta de remunerá-los durante esse período.

Se você tem interesse pelo tema e deseja descobrir como remunerar a babá corretamente em uma viagem de família, continue a leitura deste post que vamos apresentar todos os detalhes. Confira!

Quais são as despesas que devem ser pagas pelo empregador?

O empregador deve pagar integralmente todas as despesas da babá durante a viagem de família que estão relacionadas à hospedagem, estadia, transporte e alimentação.

No caso da alimentação, é responsabilidade do empregador o seu pagamento durante todo o período da viagem, e não apenas de uma refeição, como ocorre no trabalho cotidiano.

Já quando a viagem em família é internacional, também é responsabilidade do empregador pagar para a babá os encargos referentes à emissão de vistos e passaporte.

É necessário o pagamento de algum adicional pelo período da viagem de família?

Inicialmente, nos casos em que é preciso levar um empregado doméstico, como a babá, para uma viagem, é preciso contar com o seu consentimento. No que diz respeito às horas de trabalho, são devidas todas as horas efetivamente trabalhadas.

Contudo, também é preciso observar que, nesse caso, há a incidência do adicional de viagem, uma vez que nesse tipo de situação as horas de trabalho do empregado doméstico não são pagas como horas normais de trabalho, sendo preciso acrescentar um adicional de 25% sobre a hora normal.

Dessa maneira, a remuneração do serviço em viagem conta com o valor 25% superior ao valor habitual de seu salário-hora. Uma babá que recebe, por exemplo, remuneração de R$ 1.000 por mês e viaja por 30 dias a trabalho faz jus ao recebimento de R$ 1.250 no mês em questão.

É válido ressaltar, ainda, que o pagamento de hora extra, adicional noturno e direito a intervalo, por exemplo, seguem durante a viagem os mesmos princípios da rotina comum de trabalho e, portanto, devem ser pagos normalmente.

Como ficam os gastos pessoais e de lazer da babá durante a viagem?

O empregador deve arcar com a entrada de locais e eventos em que a empregada estiver prestando serviços, como os ingressos de um parque ou do cinema. Contudo, nos momentos em que a babá estiver em sua hora de lazer, as despesas que ocorrem nesse momento do dia são de sua responsabilidade, pois são considerados gastos pessoais.

Assim, se no seu período de descanso durante a viagem a babá desejar realizar um passeio turístico por conta própria, por exemplo, o pagamento é de sua responsabilidade, sendo que o mesmo ocorre com compras em lojas e também com os gastos com locomoção nos momentos de folga.

No caso de viagens internacionais, se as compras realizadas pelas domésticas forem taxadas na alfândega, esse custo também é de sua inteira responsabilidade e não deve recair sobre o empregador.

Quer ajuda na gestão da babá?

Aproveite o momento da viagem em família para o que realmente importa e divirta-se. Deixe as obrigações de cálculos e outras preocupações com o Hora do Lar. O aplicativo te permite controlar ponto e fazer ajustes necessários para que o controle de horas continue, mesmo longe de casa.

Conheça agora a plataforma completa e veja como extrair o máximo da tecnologia.