);

Apesar de ter as horas de trabalho reduzida, a empregada doméstica em jornada parcial tem direito a férias proporcionais, segundo a Lei Complementar 150.

A jornada parcial é feita especialmente para aqueles empregadores com rotinas mais flexíveis e tem uma necessidade menor de prestação de serviço durante a semana. Por isso, a cara horária neste modelo de contrato não pode ultrapassar às 25 horas semanais.

As regras da jornada parcial vão além e propõe férias proporcionais, conforme os dias trabalhados pela empregada doméstica durante o período aquisitivo.

Neste artigo a gente vai mostrar tudo sobre as férias na jornada parcial, como também se a reforma trabalhista mudou ou não algo sobre as regras deste contrato.

ferias domestica

Jornada parcial do empregado doméstico e o direito a férias

Qualquer empregado doméstico que tenha registro em carteira deve receber férias, essa regra é válida independente do tipo de jornada que o empregado execute, seja ela parcial ou integral (44 horas semanais).

Dessa forma o empregador tem por obrigação conceder férias para a empregada doméstica que trabalhe em jornada parcial, com todas as verbas que compõe o pagamento deste afastamento.

O que diz a Reforma Trabalhista?

A Reforma Trabalhista de 2017 mudou as regras para férias na jornada parcial. E partir dos novos preceitos, todos os trabalhadores regidos pela CLT passaram a ter direito a 30 dias de férias. Mas será que a regra é válida para o emprego doméstico?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Férias na jornada parcial após a Reforma trabalhista

Atualmente o emprego doméstico é regido pela Lei Complementar 150. Assim, em casos previstos pela PEC das Domésticas as novas regras da Reforma não se aplicam.

Logo, de acordo com a Lei Complementar 150, o empregado doméstico, que trabalha em regime parcial, terá direito à férias na seguinte proporção.

I – 18 (dezoito) dias, para a duração do trabalho semanal superior a 22 (vinte e duas) horas, até 25 (vinte e cinco) horas; 

II – 16 (dezesseis) dias, para a duração do trabalho semanal superior a 20 (vinte) horas, até 22 (vinte e duas) horas; 

III – 14 (quatorze) dias, para a duração do trabalho semanal superior a 15 (quinze) horas, até 20 (vinte) horas; 

IV – 12 (doze) dias, para a duração do trabalho semanal superior a 10 (dez) horas, até 15 (quinze) horas; 

V – 10 (dez) dias, para a duração do trabalho semanal superior a 5 (cinco) horas, até 10 (dez) horas; 

VI – 8 (oito) dias, para a duração do trabalho semanal igual ou inferior a 5 (cinco) horas. 

O direito a férias é adquirido durante o período aquisitivo, e deverá ser usufruído durante o período concessivo. Entenda a diferença entre os períodos abaixo.

Período aquisitivo

Este período é referente aos 12 meses trabalhados antes das férias, ou seja, ao trabalhar doze meses seguidos o empregado doméstico deverá usufruir das férias, de acordo com a legislação trabalhista.

Período concessivo

Após os 12 meses de período aquisitivo a empregada doméstica ganha direito a férias e entra no período concessivo. Este período refere-se ao tempo que o empregador tem para fornecer as férias para a empregada doméstica. Importante lembrar que o empregador não pode deixar acumular períodos concessivos, executar essa ação pode ocasionar o pagamento de multas.

Para ficar mais clara a diferença entre os dois períodos, confira o exemplo abaixo:

Vamos supor que uma empregada doméstica comece a trabalhar no dia 2 de junho de 2017. No dia 2 de junho de 2018 seu primeiro período aquisitivo se encerra, e se dá início ao seu primeiro período concessivo. Isso significa que a empregada doméstica tem até o dia 2 de junho de 2019 para gozar de seu direito de férias.

Férias com Hora do Lar

Com a evolução da tecnologia surgiram plataformas especializadas em gerenciar as demandas relacionadas ao emprego doméstico para facilitar a vida dos empregadores.

Nossa ferramenta, o Hora do Lar, já faz todos os cálculos automaticamente dos nossos assinantes! Dessa forma você fica despreocupado e sem nenhuma conta para fazer.

Além de lembrar o empregado e o empregador do período de concessão de férias, com o intuito de evitar possíveis multas, que ferem e muito o bolos do empregador.

Uma das plataformas mais sofisticadas e que torna o processo mais automatizado, o HDL oferece desde a etapa de cadastro, controle de ponto, entrega de documentos mensais e mesmo a regeração de guias DAE do eSocial não pagas no vencimento, um processo bastante prático e rápido, facilitando e tornando tudo mais seguro para o empregador doméstico.


0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *