);

O parcelamento é um hábito de quase 80% da população brasileira. Isso é o que nos mostra a pesquisa feita pelo SPC Brasil. Essa possibilidade existe também para o emprego doméstico, já que é possível fazer o parcelamento das guias do eSocial doméstico.

Assim, se você está em débito com o Simples Doméstico, fique aqui com gente para saber como tudo isso funciona. Boa leitura!

Posso fazer o parcelamento das guias do eSocial Doméstico?

O que pode ser parcelado junto ao eSocial são as contribuições previdenciárias patronais, ou seja, o INSS do empregador e seguro contra acidente de trabalho.

Sendo assim, os demais tributos – como FGTS, INSS do empregado e IR (se houver) – que compõem a guia DAE não podem ser parcelados.

Como eu regularizo contribuições previdenciárias patronais?

Apesar da tecnologia estar avançada, infelizmente não é possível regularizar as contribuições previdenciárias patronais online.

É preciso ir até uma unidade de Atendimento da RFB para fazer o parcelamento. Mas antes, é claro, você precisa portar documentos, que são:

  • cópia do comprovante de inscrição ou de recadastramento do empregado;
  • xerox da identificação do empregado e do contrato de trabalho extraídos da Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS;
  • cópia do documento de identidade do empregador;
  • planilha com o valor atualizado das contribuições a parcelar, fornecida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Como eu pago o restante dos tributos da guia DAE?

 

Agora é preciso colocar em dia os demais tributos da DAE. Vamos lá?!

 

  1. Faça login no site do eSocial;
  2. no menu principal, selecione “Folha de pagamentos” e, logo em seguida, clique em “Dados de Folha de Pagamento”. Aqui, selecione o mês e ano das guias em atraso que precisa emitir. Logo em seguida, clique em “Acesse a página de edição da Guia”;
  3. na próxima tela, você vai selecionar os demais tributos que faltam recolher. Neste caso serão “Contribuição previdenciário dos segurados” e “FGTS”;
  4. por último, baixe o documento no seu dispositivo.

Como organizar a gestão e evitar atrasos?

Qualquer categoria de atraso de pagamento pode causar grandes dores de cabeça ao empregador, afinal todos os atrasos geram multas.

Para que isso não aconteça, o empregador deve estar munido de uma plataforma de gestão eficiente, assim como a Hora do Lar, que oferece cálculos automáticos, emissão de recibos mensais, avisos de vencimento da guia DAE e orientação para resolver todos os problemas via WhatsApp.

Conheça a gestão doméstica digital, teste a plataforma Hora do Lar e nunca mais atrase as guias.


7 comentários

Nil · 21 de outubro de 2019 às 09:22

Não é só a parte patronal que a RFB parcela.
Fui em setembro/19 na RFB e conseguir fazer o parcelamento simplificado das partes patronal e segurado.
No site do e-social, só emitirei as guias do FGTS.

    Lucilia Mendes · 11 de novembro de 2019 às 16:38

    Olá Nil,

    Tudo bem?

    O embasamento para o artigo foi a própria instrução da Receita Federal http://receita.economia.gov.br/orientacao/tributaria/pagamentos-e-parcelamentos/parcelamentos/parcelamento-previdenciario#creditosparcelaveis

    Agradecemos que tenha compartilhado a sua experiência com a gente, iremos atualizar o nosso artigo com esta informação 🙂

    Mauricio da Silva Pereira · 17 de fevereiro de 2020 às 20:15

    Olá!

    Contribuindo também com todos: já é possível realizar o parcelamento online no site da Receita Federal.
    Você deve utilizar o E-CAC e acessar as opções de “pagamentos e parcelamentos” e depois verificar as opções “Parcelamento Simplificado Previdenciário DAU” e “Parcelamento Simplificado Previdenciário” e seguir as orientações das respectivas páginas (lembrando que a primeira para valores já inscritos em dívida pública e a segunda para pendências ainda não inscritas).

      Maria Lalicia · 20 de fevereiro de 2020 às 15:31

      Olá Mauricio, tudo bem?

      Agradecemos por sua contribuição no assunto 🙂

Karla · 11 de fevereiro de 2020 às 09:29

Bom dia, vou fazer a rescisão da minha empregada doméstica mês que vem, o parcelamento dos débitos interfere na rescisão ou tenho que pagar tudo a vista antes da rescisão?
Obrigada

    Maria Lalicia · 11 de fevereiro de 2020 às 15:43

    Olá Karla, tudo bem?

    O encargo que interfere diretamente no desligamento do funcionário é o FGTS,

    Pois o saque do FGTS e Seguro Desemprego é um direito do funcionário desligado sem justa causa pelo o empregador.

    E se nenhum depósito do FGTS for realizado pelo o empregador o funcionário ficara impossibilitado de sacar o FGTS e da entrada no Seguro Desemprego.

    Esperamos ter ajudado 🙂

ROSANA · 22 de setembro de 2020 às 19:01

Texto e comentários esclarecedores . Obrigada demais !

Os comentários estão fechados.