);

Quando o assunto é dinheiro todo mundo sempre costuma ficar alerta, principalmente os empregadores que por regra tem um excesso de encargos para pagar mensalmente. É por isso que antes de contratar ou até mesmo quem já tem se pergunta quanto custa uma empregada doméstica.

A primeira vista pode até parecer uma pergunta simples de ser respondida, mas não, tem muitos detalhes que envolvem essa resposta, ou melhor, há muitas formulas para chegar no resultado correto.

No artigo a seguir você vai ver quanto custa uma empregada doméstica durante o ano todo e também uma solução inteligente para administrar esses cálculos!

Quanto custa uma empregada doméstica

Gastos mensais

Primeiramente, vamos dividir esse artigo com os gastos mensais e anuais que o empregador tem com sua empregada doméstica. Para que dessa forma, tudo fique bem mais claro quanto aos custos e encargos da trabalhadora.

Salário

O principal custo de todos os empregadores, certamente é o salário. O pagamento do salário ocorre após um mês de trabalho prestado pela empregada doméstica.

O valor do salário mínimo nacional é estipulado anualmente pelo Governo Federal. Assim como, os salários mínimos regionais válidos somente para SP, RJ, SC, RS e PR são divulgados pelos seus respectivos Estados todos os anos.

É com base nesses valores divulgados que os empregadores devem pagar os salários para as suas empregadas domésticas. Veja abaixo a lista completa com o salário minimo nacional e regional 2019 para os Estados citados acima.

Salário minimo nacionalR$ 1.045,00
Estado de São PauloR$ 1.163,55
Rio Grande do SulR$ 1.237,15
Paraná (atualizado em janeiro de 2020)R$ 1.436,60
Santa CatarinaR$ 1.158,00
Rio de JaneiroR$ 1.238,11

O salário pode vir com alguns descontos fixos, como o de vale-transporte, por exemplo (próximo tópico) ou eventuais como o de faltas.

Normalmente não é descontado o valor de vale-refeição do salário da doméstica, já que a empregada geralmente faz suas refeições no próprio ambiente de trabalho.

Vale-transporte

O vale-transporte tem objetivo de custear o deslocamento da empregada doméstica até o seu local de trabalho e vice-versa.

Mas apesar de ser um direito previsto na Lei nº 7.418 de 1985 é a própria trabalhadora que deve tomar iniciativa e demonstrar interesse em receber o valor.

Dessa maneira, no momento da admissão, a empregada deve informar ao empregador quais são os meios de transportes utilizados e os valores respectivos de cada um para ida e volta do trabalho.

No contrato de trabalho deve estar expressamente claro que, ao escolher receber o benefício, a empregada terá descontado até 6% do seu salário, referente ao vale-transporte.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Guia DAE

A Guia DAE é o documento de arrecadação mensal onde constam todos os encargos trabalhistas. O recolhimento da Guia deve ser feito mensalmente e é de total responsabilidade do empregador doméstico.

Antes de tudo é importante esclarecer que a Guia DAE é calculada com base na remuneração paga para o seu empregado doméstico.

Desta forma, nem todo empregador vai recolher a DAE com o mesmo valor. Isso por que apesar de os percentuais de cada item da guia serem fixos, os salários podem ser diferentes.

Confira abaixo um demonstrativo da guia DAE. Referente a uma empregada com salário de R$ 998,00 e quanto fica o valor dos encargos mensais.

Quanto custa uma empregada doméstica

Como podemos ver, o total da Guia DAE acima é de R$ 278,93. No documento estão presentes os seguintes encargos:

  • FGTS — 8% baseado no salário do trabalhador;
  • FGTS — depósito compulsório de 3,2% do salário do trabalhador, referente à reserva indenizatória da perda de emprego;
  • GILRAT — seguro contra acidentes de trabalho — 0,8% do salário;
  • contribuição previdenciária — INSS patronal, paga pelo empregador — 8% do salário;
  • contribuição previdenciária — INSS, paga pelo trabalhador — entre 8% e 11% dependendo do valor do salário;
  • imposto de renda retido na fonte — IRRF — incide somente se o trabalhador recebe acima de R$ 1.903,98.

*Apenas os dois últimos itens devem ser descontados do salário do trabalhador, todos os demais são encargos devidos pelo empregador.

Gastos anuais

Agora vamos aos gastos que o empregador tem apenas uma vez ao ano. Este é o caso das férias e também do 13° salário, ambos são direitos trabalhistas previstos para todos os empregados domésticos com carteira assinada.

Férias

Os valores referentes a férias, aos quais a empregada doméstica tem direito são, basicamente o salário acrescido de 1/3 da remuneração. Existe uma fórmula básica para fazer o cálculo de férias da empregada, para você não se perder nas contas.

  • (salário base + média de valores variáveis/ 12) x número de meses a que tem direito + 1/3 do total da conta

Se você ainda precisa de uma ajuda com o cálculo de férias da sua doméstica você também pode baixar gratuitamente nosso check-list com o passo a passo para o cálculo. Baixe agora!

13° salário

O décimo terceiro salário é pago em duas parcelas. A primeira deve ser paga até o último dia do mês de novembro; enquanto a segunda parcela deve ser quitada até o dia 20 de dezembro.

Para saber o valor de cada parcela é bem simples. Na primeira parcela você precisa dividir o salário bruto por 12 e multiplicar pelos meses em que a empregada trabalhou. O resultado obtido será o da primeira parcela que não pode ter nenhum tipo de desconto.

  • Isso no caso de ela ter iniciado seu contrato de trabalho no decorrer do ano. No caso do início das atividades ser anterior a 15/janeiro do mesmo ano, a primeira parcela será exatamente 50% do valor de um salário ).

Já para fazer o cálculo da segunda parcela, basta repetir o mesmo processo. Mas agora o empregador pode aplicar descontos do INSS e do Imposto de Renda.

E quais encargos são pagos pelo empregador e quais pelo empregado?

 EmpregadorEmpregado
Salárioacordado em carteira-
FGTS8% do salário + 3,2% depósito compulsório-
GILRAT0,8% do salário-
INSS Patronal8% do salário-
INSS Trabalhador-de 8% a 11% do salário
Transportepago a diferença de 6% do trabalhador menos o custo total6% do salário
13º salárioproporcional ao tempo trabalhado-
Fériasproporcional ao tempo trabalhado-

Plataforma para gestão de empregada doméstica

São tantos valores e gastos por mês e ano que muitas vezes ocasionam dúvidas ou esquecimento ao empregador.

Por isso hoje uma grande parte dos empregadores utilizam ferramentas para gestão de empregada doméstica. O mercado atual dispõe de diversas opções desde as mais simples até as mais sofisticadas e eficientes.A Plataforma Hora do Lar para gestão do empregado doméstico é a melhor solução digital para o empregador.

Nosso serviço é completo e faz o controle de ponto, cálculos mensais e anuais como também a emissão da Guia DAE em apenas um clique. Venha partilhar da melhor experiência de gestão para gestão sua empregada doméstica.

Conheça o Hora do Lar e veja como podemos trazer tecnologia e segurança para sua vida.

[Modelo] Recibo de pagamento do empregado doméstico

2 comentários

Valdeci Nunes · 5 de setembro de 2019 às 14:22

Contratei um empregado para trabalhar no meu sítio
Dei casa pra ele morar (fiz contrato de comodato) e preciso assinar sua carteira trabalho. Pergunto-lhe…posso assinar como empregado doméstico?

    Lucilia Mendes · 12 de setembro de 2019 às 15:57

    Olá Valdeci, tudo bem?

    Sim, você pode assinar a carteira dele como empregado doméstico (caseiro) mas deve estar atento a algumas regras…

    1. O empregado doméstico deve ser contratado por pessoa física
    2. O sítio não pode ser explorado pra fins comerciais pois o empregado doméstico por lei não pode ter fins lucrativos.(Lei Complementar 150 Art. 1º)
    3. O empregado deve ser contratado como caseiro (nº CBO 5121-05)

    Espero ter ajudado 🙂

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *