...

Vale-Alimentação Para Empregada Doméstica: Direito ou Benefício? Veja Aqui!

Ao admitir uma doméstica, o empregador tem em mente que direitos como férias, 13° salário, horas extras e outros, devem ser respeitados. No entanto, pontos como o vale-alimentação para empregada doméstica dividem opiniões: afinal, o pagamento desse benefício é obrigatório ou opcional para o empregador?

O melhor nessa situação é entender bem o que a lei diz sobre o que é garantido ou não aos empregados domésticos. Neste artigo, nós te mostramos tudo sobre o vale-alimentação para domésticas e como fica o pagamento desse valor. Boa leitura!

O que é o vale-alimentação?

Vale-alimentação é um benefício concedido em dinheiro ou cartões com quantia determinada por empresas e empregadores domésticos aos seus trabalhadores para que eles possam comprar produtos alimentícios em supermercados, quitandas, mercearias, hortifrútis, sacolões e outros estabelecimentos que vendem essa categoria de mercadoria.

Deve-se destacar que o vale-alimentação não faz parte do salário da empregada doméstica, ele é um benefício que o empregador pode oferecer no momento da contratação ou não, ou seja, é opcional.

O artigo 457 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) deixa essa determinação bem clara:

§ 5º O fornecimento de alimentação, seja in natura ou seja por meio de documentos de legitimação, tais como tíquetes, vales, cupons, cheques, cartões eletrônicos destinados à aquisição de refeições ou de gêneros alimentícios, não possui natureza salarial e nem é tributável para efeito da contribuição previdenciária e dos demais tributos incidentes sobre a folha de salários e tampouco integra a base de cálculo do imposto sobre a renda da pessoa física.

O vale-alimentação para empregada doméstica é previsto em lei?

Não, o vale-alimentação para empregada doméstica não está previsto na Lei Complementar 150 ou na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), isso porque ele é um benefício que o empregador doméstico pode oferecer à doméstica no momento da contratação.

Para sermos mais claros, o vale-alimentação é aquele “Q” a mais que o empregador pode acrescer nos benefícios da vaga para contratar o melhor profissional possível.

Caso o empregador não ofereça o vale-alimentação, ele também não é obrigado a conceder alimentação para a doméstica. A única regra que deve ser respeitada é o horário de almoço correspondente à jornada de trabalho da empregada doméstica.

No entanto, se o empregador oferecer a alimentação para a doméstica, precisa lembrar do artigo 18 da LC 150:

É vedado ao empregador doméstico efetuar descontos no salário do empregado por fornecimento de alimentação, vestuário, higiene ou moradia, bem como por despesas com transporte, hospedagem e alimentação em caso de acompanhamento em viagem.

 

Como funciona o horário de almoço de doméstica?

A pausa para refeição ou horário de almoço é um direito constitucional de toda empregada doméstica com carteira assinada. O tempo de almoço da doméstica será proporcional à jornada de trabalho estipulada em contrato, segundo a CLT.

Horas de trabalho por diaDuração do horário de almoço
Até 4 horas de trabalhoNão é obrigatório
Entre 4 e 6 horas de trabalho15 minutos
De 6 a 8 horas de trabalho1 a 2 horas

É possível reduzir o horário de almoço da doméstica?

Sim, caso seja de comum acordo, o horário de almoço pode ser reduzido para 30 minutos. Com isso, a doméstica pode sair um pouco mais cedo do trabalho.

É recomendável que a redução do horário de almoço seja muito bem documentada, ou seja, o acordo deve ser feito por escrito com assinatura mútua.

O horário de almoço pode ser contabilizado como jornada de trabalho?

Não, são contabilizados como jornada de trabalho apenas os períodos em que a empregada está prestando serviço e à disposição do empregador. Logo, o horário de almoço não pode ser contabilizado como jornada de trabalho.

Apesar do vale-alimentação para empregada doméstica não ser obrigatório, existem diversos direitos trabalhistas que você, empregador, precisa conceder para manter a relação de trabalho nos conformes. Então não dê bobeira!

Você sabe o quanto pode custar uma empregada doméstica por ano? O Hora do Lar listou neste artigo os principais gastos e selecionou dicas para você dar aquela economizada.

Cadastre-se agora para otimizar seu tempo e automatizar processos na gestão de empregados domésticos.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Categorias

Mais recentes

Quer receber mais conteúdos como esses de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por e-mail mensalmente, com as principais novidades do mercado sobre gestão de empregados domésticos.

© 2015-2024 Hora do Lar. CNPJ 21.011.165/0001-39.
Todos os direitos reservados.

Feito com ❤ pelo time HDL.
Política de Privacidade.

Seraphinite AcceleratorOptimized by Seraphinite Accelerator
Turns on site high speed to be attractive for people and search engines.