...

Entenda mais sobre a Rescisão de Empregada Doméstica!

A rescisão de contrato marca o fim da relação empregatícia. Quando a empregada pede demissão ou é dispensada, as verbas rescisórias são diferentes.

A demissão por si só já é um assunto delicado para se tratar. Ainda assim, quando se trata do desligamento da empregada doméstica, sabemos que as leis trabalhistas no Brasil podem ser bastante confusas. E esse artigo foi escrito para auxiliar o empregador doméstico com a rescisão de empregada doméstica.

Através desse conteúdo, vamos trazer à luz alguns pontos nebulosos sobre direitos e deveres do empregador doméstico quando se trata da rescisão de empregada doméstica e a legislação vigente no País.

Rescisão de empregada doméstica que pediu demissão

Quando se trata dos direitos na rescisão de empregada doméstica, cabe o recebimento pelos dias trabalhados no mês do pedido de demissão. Além disso, o 13º salário, as férias proporcionais com acréscimo de 1/3, a média de horas extras realizadas e o adicional noturno (caso tenha).

Enquanto isso, no aviso prévio, o empregador doméstico tem duas alternativas:

  • descontar o aviso prévio no caso da funcionária optar não trabalhar pelo período estipulado no aviso;
  • ou não descontar o aviso no da empregada escolher trabalhar durante o estipulado no aviso prévio.

Entretanto, no caso em que o empregado doméstico concorde com o cumprimento do aviso prévio, esse funcionário perder qualquer direito sobre a saída duas horas antes do fim do expediente acordo em contrato de trabalho.

Além disso, outros direitos que são perdidos pela empregada que pede seu desligamento da função:

  • perde seu direito de sete dias corridos de descanso;
  • perde seu direito ao saque do seguro desemprego.
  • perde seu direito ao saque do FGTS.

Por outro lado, o empregador doméstico tem direito ao:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Empregada doméstica demitida sem justa causa

No caso da demissão sem justa causa da doméstica, ela tem direito ao recebimento do saldo de dias trabalhados no mês, o 13º salário proporcional ao período registrado em carteira, férias proporcionais mais 1/3 de férias, além das médias de horas extras e adicional noturno (quando houver).

A empregada doméstica também direito ao saque do FGTS mais a multa de 40%, que o empregador antecipa todo mês no eSocial, no valor de 3,2%.

Para a empregada ter acesso ao seguro desemprego, é preciso que:

  • tenha registrado em carteira de trabalho ao menos 15 meses de prestação de serviço doméstico nos últimos 24 meses;
  • ter sido demitida sem justa e registrada no cargo de empregada doméstica perante a Previdência Social;
  • também é necessário que a empregada tenha, no mínimo, 15 contribuições ao INSS.
  • além disso, é preciso ter 15 recolhimentos realizados ao FGTS na função de empregado doméstico;
  • e não pode estar usufruindo de benefícios da Previdência (com exceção do auxílio doença e pensão por morte);
  • para ter direito ao seguro desemprego, a funcionária doméstica também não pode ter renda própria;
  • assim, o seguro deverá ser realizado em 3 parcelas, no valor de um salário mínimo federal.

Demissão acordada

Aprovada com a Reforma Trabalhista, já está em vigor a demissão acordada entre empregado e empregador doméstico. Os direitos que ficaram estabelecidos conforma a lei complementar nº 150, foram:

  • ao empregado doméstico cabe receber 1/2 do aviso prévio;
  • a multa do FGTS cai para metade. Em outras palavras, ao invés dos 40% a que teria direito, o empregado doméstico passa a ter apenas 20%. Sendo os outros 20% atribuídos ao empregador;
  • além disso, o saque de 80% do saldo do FGTS é direito do empregado. Os outros 20% poderão ser sacados em condições como, por exemplo, a aposentadoria, compra de casa própria, etc;
  • assim, o empregado perde o direito ao seguro desemprego.

Tecnologia e segurança no cálculo de rescisão

É quase uma unanimidade entre os empregadores que o cálculo de rescisão é a parte mais desafiadora da relação trabalhista. O cálculo deve ser feito com muito cuidado, pois envolve todo o tempo de prestação de serviço, mais outras verbas rescisórias que o empregado tem direito.

Atualmente o cálculo ficou mais simples para o empregador, isso porque o mercado já oferece ferramentas para o gerenciamento do empregado doméstico que automatizam o cálculo de rescisão.

Os serviços mais sofisticados como a Plataforma Hora do Lar fazem todos os cálculos de férias, rescisão, 13°, horas extras e salário em apenas um clique. O cálculo de rescisão é completo, pois o nosso sistema é totalmente digital e inteligente calculando todos os anos de prestação de serviço com todos os adicionais do empregado doméstico.

Além disso, a Plataforma Hora do Lar faz a emissão de documentos mensais e também regeração das Guias atuais e vencidas, controle de ponto via app do empregador e também a geração dos recibos de pagamento.

Descubra mais sobre o nosso serviço e veja como a Plataforma Hora do lar facilitará a gestão da empregada doméstica com muita segurança e tecnologia.

Cadastre-se agora para otimizar seu tempo e automatizar processos na gestão de empregados domésticos.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

Quer receber mais conteúdos como esses de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por e-mail toda
2ª feira e participe da comunidade do Hora do Lar!

© 2015-2023 Hora do Lar. CNPJ 21.011.165/0001-39. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade. Feito com ❤ pelo time HDL.

Seraphinite AcceleratorOptimized by Seraphinite Accelerator
Turns on site high speed to be attractive for people and search engines.